Logo do Blueprint
Fechar

Moradias long stay e o segmento de luxo em conjunto

As moradias long stay se tornaram a nova aposta de inovação das incorporadoras e para se destacar algumas combinaram o conceito com o segmento de luxo.

Empreendimento VHouse, um dos projetos long stay da JFL Living com conceito luxuoso.
Foto da autora Nathalia Zanardo

Em abril de 2020, o Airbnb entrou oficialmente no mercado de locação de longa duração. Com objetivo de acompanhar as mudanças sociais e econômicas, a empresa passou a oferecer estadias acima de 28 dias de duração. Mesmo com a situação difícil durante a pandemia, as locações de longa duração começaram a ser um sucesso no Brasil, representando 22% das reservas do primeiro trimestre de deste ano, superando as reservas feitas no período anterior à pandemia.

Assim como nos serviços de acomodação, várias incorporadoras viram uma oportunidade e trouxeram o conceito long stay para o segmento imobiliário, surgindo os “Ubers da moradia”, responsáveis por fazer com que o novo conceito de aluguel por assinatura se espalhasse pelo mercado imobiliário brasileiro. Mas se destacar nesse ramo pode ser difícil e para isso algumas empresas começaram a combinar o long stay com algo que vem ganhando forças nos últimos anos, o segmento de luxo.

Com isso, um novo ramo de locação por longa duração surgiu, proporcionando aos clientes as melhores localizações da cidade, combinadas a projetos luxuosos e pelo tempo desejado. Entre as empresas pioneiras nesse conjunto inovador, temos a JFL Living, marca de long stay que se destaca por proporcionar uma nova experiência do viver ao alugar residências de alto padrão com serviços semelhantes ao de um hotel. Trabalhando apenas em bairros nobres, os apartamentos começam com um custo de 7.800 reais por mês, incluindo mobília, eletrodomésticos e enxovais. O cliente também pode contar com algumas comodidades na sua rotina ao optar por serviços como limpeza e até café da manhã.

Empreendimento VHouse, um dos projetos long stay da JFL Living com conceito luxuoso.
Fachada do VHouse, empreendimento long stay com estrutura luxuosa, localizado em uma das melhores áreas da cidade de São Paulo, Pinheiros. Fonte: JFL Living

Outra empresa, muito conhecida por seus projetos exclusivos, começou a atuar no segmento ⏤ a Idea!Zarvos também resolveu apostar no Airbnb de luxo e diz que pretende lançar nos próximos quatro anos prédios inteiros para a locação. Atualmente a empresa oferece locações por, no mínimo, de 30 dias, a partir de R$ 8 mil ao mês, incluindo os serviços essenciais, como limpeza, internet, luz, água e gás.

O long stay é uma modalidade que veio para ficar, com contrato simples e sem fiador, é uma grande vantagem para os locatários mais urbanos que buscam por praticidade e uma vida flexível. Combinando a outra tendência de sucesso como o segmento de luxo, proporciona a empresas dois novos segmentos para serem explorados e, ao mesmo tempo, atingir os clientes que buscam viver com alto padrão sem o compromisso de comprar um imóvel.

Foto da autora Nathalia Zanardo
Arquiteta que entende a profissão como um transformador da sociedade. Acompanhando sempre os novos lançamentos do mercado imobiliário.
Quer relatar sobre algum erro? Avise a gente
Compartilhe:
Mais conteúdos imobiliários:
O Centro de Inovação da Seed Incorp conta com demonstração da automação residencial, maquete diferenciada, demonstração do sistema BIN e espaços colaborativos para trabalhar.

Espaços de inovação ajudam o cliente e os colaboradores do setor

O mercado imobiliário é um dos grandes setores que está sempre se reinventando, com isso espaços que fomentem discussões e inovações surgiram. Conheça!
Foto da autora Nathalia Zanardo
Nathalia Zanardo
O gráfico mostra o avanço das transações por meio do PIX no Brasil, ultrapassando outros métodos clássicos como boleto, TED, cheque e DOC, de novembro de 2020 até março de 2021.

Como o PIX pode agilizar o mercado imobiliário

O sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central tem transformado as transações nesta nova era digital. Entenda como o PIX pode contribuir com o setor imobiliário.
Foto da autora Giovana Costa
Giovana Costa
A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) exige consentimento explícito para coleta e uso dos dados e torna obrigatória a possibilidade de visualização e correção das informações.

LGPD reforça a necessidade de segurança dos dados nos condomínios

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) tem como objetivo proteger os direitos e a segurança dos cidadãos, incluindo os moradores e os visitantes de condomínios e prédios comerciais.
Foto da autora Giovana Costa
Giovana Costa