Logo do Blueprint
Fechar

Tegra investe na construção de edifícios sustentáveis e certificados

Confira como as construções de edifícios sustentáveis e certificados podem mudar o mercado imobiliário brasileiro, a partir do caso da incorporadora Tegra.

Tegra investe na construção de edifícios sustentáveis e certificados
Foto da autora Giovana Costa

Atualmente, a Tegra tem focado na construção de edifícios sustentáveis e certificados. A ideia é que os projetos futuros recebam selo AQUA-HQE, um dos mais notáveis em termos de sustentabilidade. Além disso, todos devem ser auditados pela Fundação Vanzolini, organização que certificou a incorporadora como Empreendedor AQUA, em julho deste ano.

Painel socioambiental da construção 2020 da Tegra indica a quantidade de emissões de CO2, gastos com água e energia, bem como o uso de materiais reciclados, empregos gerados e a quantidade de horas de treinamento.
Painel socioambiental da construção 2020 da Tegra, uma solução sustentável implementada nos tapumes de todas as obras. Fonte: Tegra

O selo reconhece as boas práticas das incorporadoras e das construtoras durante as fases de desenvolvimento e construção das edificações. Práticas estas que conversam com a história da empresa, que há algum tempo já investe na reciclagem de 99,1% dos resíduos de obras e utiliza concreto que emite 26% a menos de CO₂, reflexo do seu investimento em ESG.

Inclusive, foram iniciativas como estas que deram origem ao condomínio ÍCARO Jardins do Graciosa, da AG7 Realty, assinado por Arthur Casas e reconhecido como o empreendimento mais sustentável do Brasil. O projeto atingiu a premiação nível Ouro do Green Building Council (GBC) por incluir gerenciamento de águas pluviais, uso eficiente da água e utilização de energia renovável a partir de painéis fotovoltaicos.

Imagem panorâmica do empreendimento ÍCARO Jardins do Graciosa, reconhecido como o empreendimento mais sustentável do Brasil.
ÍCARO Jardins do Graciosa, o empreendimento mais sustentável do País, localizado em Curitiba. Fonte: Casa Abril

O Brasil tem acompanhado a tendência mundial e se tornou o quarto país do mundo com maior número de processos de certificação LEED, reconhecido pela ONG Green Building Council.

De acordo com o portal Research & Markets, a expectativa é de que o mercado global de edifícios sustentáveis fature US$ 110 bilhões em 2025 e gere 6,5 milhões de postos de trabalho até 2030. E para que o mercado imobiliário brasileiro seja cada vez mais verde, é importante se atentar às expectativas para o mercado no ano de 2022 e se adaptar para acompanhar as novas mudanças.

Foto da autora Giovana Costa
Jornalista entusiasta do audiovisual e editora com foco em SEO. Cobre o mercado imobiliário com foco nas inovações e nas novidades que transformam o setor (e o mundo).
Quer relatar sobre algum erro? Avise a gente
Compartilhe:
Mais conteúdos imobiliários:
Bicicletário com paraciclos suspensos com bicicletas e compressor de ar para pneus.

O impacto das bicicletas nas cidades e nos lançamentos imobiliários

A inclusão da bicicleta como meio de deslocamento se tornou cada vez mais comum, e os lançamentos imobiliários vêm acompanhando essa tendência.
Foto da autora Nathalia Zanardo
Nathalia Zanardo
Personagem Rose do filme Titanic e o meme "Já faz 84 anos..." adaptado para 81 anos.

Expectativas para o mercado imobiliário em 2022

O mercado imobiliário de 2022 tem motivos para ficarmos pessimistas ou otimistas. Conheça os principais e escolha como você quer enxergar 2022.
Foto do autor Alex Frachetta
Alex Frachetta
Fachada colorida de edifício com pintura degradê em tons de azul e verde.

Adeus prédios bege em São Paulo

Há uma predisposição por produzir edifícios neutros em metrópoles com muitos lançamentos verticais. Conheça alguns exemplos que fogem desse padrão.
Foto da autora Thainá Neves
Thainá Neves