Tegra investe na construção de edifícios sustentáveis e certificados

Tegra investe na construção de edifícios sustentáveis e certificados
Foto da autora Giovana Costa

Atualmente, a Tegra tem focado na construção de edifícios sustentáveis e certificados. A ideia é que os projetos futuros recebam selo AQUA-HQE, um dos mais notáveis em termos de sustentabilidade. Além disso, todos devem ser auditados pela Fundação Vanzolini, organização que certificou a incorporadora como Empreendedor AQUA, em julho deste ano.

Painel socioambiental da construção 2020 da Tegra indica a quantidade de emissões de CO2, gastos com água e energia, bem como o uso de materiais reciclados, empregos gerados e a quantidade de horas de treinamento.
Painel socioambiental da construção 2020 da Tegra, uma solução sustentável implementada nos tapumes de todas as obras. Fonte: Tegra

O selo reconhece as boas práticas das incorporadoras e das construtoras durante as fases de desenvolvimento e construção das edificações. Práticas estas que conversam com a história da empresa, que há algum tempo já investe na reciclagem de 99,1% dos resíduos de obras e utiliza concreto que emite 26% a menos de CO₂, reflexo do seu investimento em ESG.

Inclusive, foram iniciativas como estas que deram origem ao condomínio ÍCARO Jardins do Graciosa, da AG7 Realty, assinado por Arthur Casas e reconhecido como o empreendimento mais sustentável do Brasil. O projeto atingiu a premiação nível Ouro do Green Building Council (GBC) por incluir gerenciamento de águas pluviais, uso eficiente da água e utilização de energia renovável a partir de painéis fotovoltaicos.

Imagem panorâmica do empreendimento ÍCARO Jardins do Graciosa, reconhecido como o empreendimento mais sustentável do Brasil.
ÍCARO Jardins do Graciosa, o empreendimento mais sustentável do País, localizado em Curitiba. Fonte: Casa Abril

O Brasil tem acompanhado a tendência mundial e se tornou o quarto país do mundo com maior número de processos de certificação LEED, reconhecido pela ONG Green Building Council.

De acordo com o portal Research & Markets, a expectativa é de que o mercado global de edifícios sustentáveis fature US$ 110 bilhões em 2025 e gere 6,5 milhões de postos de trabalho até 2030. E para que o mercado imobiliário brasileiro seja cada vez mais verde, é importante se atentar às expectativas para o mercado no ano de 2022 e se adaptar para acompanhar as novas mudanças.

Foto da autora Giovana Costa
Jornalista entusiasta do audiovisual e editora com foco em SEO. Cobre o mercado imobiliário com foco nas inovações e nas novidades que transformam o setor (e o mundo).
Quer relatar sobre algum erro? Avise a gente
Compartilhe:
Mais conteúdos imobiliários:
Interior do apartamento de 20 m² em Hong Kong sem divisões dos ambientes e com uma única entrada de luz natural.

Apartamentos compactos, vilões ou soluções?

Em grandes centros urbanos, os apartamentos compactos dominaram os lançamentos, mas será que essas metragens são o suficiente para se morar?
Foto da autora Nathalia Zanardo
Nathalia Zanardo
Cidades inteligentes ou smart cities estão cada vez mais presentes no planejamento urbano., e todas as características que as formam: tecnologia, integração da população, inovação, empreendedorismo, sustentabilidade e mobilidade urbana.

Cidades inteligentes: como funcionam e como o mercado imobiliário tem contribuído com esse processo?

As cidades inteligentes ou smart cities estão cada vez mais presentes no planejamento urbano. Entenda a relação com o mercado imobiliário!
Foto do autor Vince
Vince
Capa do álbum Ideologia, do cantor Cazuza lançado em 1988.

Apto lança novo plano para sua expansão pelo Brasil

Lançamentos imobiliários poderão ser anunciados no Apto a baixo custo. O objetivo do Apto é entrar em todas as cidades do Brasil.
Foto do autor Alex Frachetta
Alex Frachetta