Logo do Blueprint
Fechar
Logo do Blueprint
Fechar

As inovações das cidades inteligentes

As inovações das cidades inteligentes

A criação de cidades inteligentes sugere a elaboração de políticas públicas e o financiamento de projetos tecnológicos que possam gerar maior desenvolvimento urbano sustentável. As tentativas, que envolvem investimentos e alguns problemas com a manutenção de recursos, buscam melhorar a vida dos moradores, por meio de tecnologias relativamente mais simples e metas mais atingíveis, dentro da realidade de cada município.

As cidades inteligentes são conhecidas por características bastante específicas como: coleta e uso de dados, integração das inovações, dentre outras.
Características que constituem uma cidade inteligente. Fonte: Blueprint

Em Boston, nos Estados Unidos, o projeto Neighborhood of Affordable Housing (em inglês) propõe a implantação de 40 sensores de qualidade do ar em empresas locais, centros comunitários e residências. A ideia é também implantar filtros de ar particulado - Hepa, que possuem a capacidade de eliminar até 99,99% das partículas que contaminam o ar do local. O projeto receberá US$ 50.000 de subsídio em prol do ar limpo e tem como objetivo aumentar a conscientização sobre a qualidade do ar.

Já no Brasil, o Centro Interdisciplinar em Tecnologias Interativas (Citi) da Universidade de São Paulo (USP) testa plataformas para o desenvolvimento de soluções 5G com foco em Cidades Inteligentes e Internet das Coisas. Além disso, durante o evento Mobile World Congress, foi firmada a parceria entre as empresas TIM Brasil e Huawei, do projeto Cidade 5G, que pretende implementar redes para cidades inteligentes, sendo Curitiba o primeiro município selecionado para os testes.

Mapa do Brasil recebe indicações de locais onde a tecnologia 5G já foi ativada nas respectivas cidades brasileiras.
No Brasil, a tecnologia 5G já começou. Fonte: Valor Econômico | Globo

Proptechs voltadas às cidades inteligentes ao redor do mundo já vêm ganhando destaque. É o caso da Planet Smart City, que já contribuiu com a redução das emissões de carbono, por exemplo. E estes destaques já ganham projeções mundiais positivas: a expectativa é que o mercado de smart cities gere um faturamento de US$ 2,118 trilhões até 2024, segundo a Technavio.

Faça parte do Blueprint

Assine Grátis e receba a news semanal com os melhores conteúdos do mercado imobiliário.

Foto da autora Giovana Costa
Por Giovana Costa

Compartilhar esse post:

Quer relatar sobre algum erro? Avise a gente

Compartilhe: