Logo do Blueprint
Fechar

Um espaço de trabalho aberto realmente favorece a produtividade?

Os escritórios mudaram muito e um espaço de trabalho mais aberto e conectado surgiu com o pretexto de estimular a colaboração e aumentar a produtividade.

Espaço de trabalho aberto do escritório da Amaro, pessoas trabalhando em suas mesas individuais e algumas conversando.
Foto da autora Nathalia Zanardo

As mudanças do mercado de trabalho geraram consequências até em seu espaço físico, e o escritório aberto surgiu neste contexto. Pelo aumento da especulação imobiliária ou pela otimização do espaço que ele permite, esse layout começou a ser implantado em inúmeras empresas, e nos Estados Unidos representa cerca de 70% dos escritórios.

Os escritórios abertos surgem como uma proposta de um ambiente de trabalho produtivo, com uma estrutura própria na qual tudo é visto e compartilhado, ou seja, o individualismo não existe. A ideia é que a fácil comunicação permita uma maior colaboração entre as diferentes áreas, de maneira simples e intuitiva, aumentando a produção, mas nem sempre isso acontece.

Uma pesquisa (em inglês) realizada pela Harvard Business School mostrou que a quantidade de conversas cara a cara caiu 70% no escritório aberto, além disso, fatores como a falta de privacidade e a dificuldade em se concentrar afetaram o desempenho dos funcionários. Mas nem todos os casos de escritórios abertos são negativos ⏤ empresas grandes como Google e Facebook adotaram o modelo e obtiveram sucesso.

Espaço de trabalho aberto do escritório da Amaro, pessoas trabalhando em suas mesas individuais e algumas conversando.
Escritório sede da Amaro, projetado pelo WeWork, possui um espírito de coletividade, flexibilidade e comunicação. Fonte: WeWork

Como um caso nacional de sucesso, podemos citar a Amaro. A empresa que revolucionou o consumo de moda necessitava de um espaço para unificar sua sede e contratou o WeWork para fazer o projeto. Com espaços compartilhados e flexíveis, o novo ambiente exemplificou a cultura da marca e resolveu seu maior problema, a necessidade de um espaço que permitisse a troca de ideias e refletisse o espírito de colaboração criativa da empresa.

Talvez nenhum modelo seja necessariamente perfeito, mas a solução pode ser um sistema híbrido, com áreas compartilhadas e outras que proporcionem privacidade e concentração. Regras e boas práticas de convivência também podem ajudar nesse aspecto, afinal o espaço físico é importante, mas não só ele cria um ambiente de trabalho ideal.

Foto da autora Nathalia Zanardo
Arquiteta que entende a profissão como um transformador da sociedade. Acompanhando sempre os novos lançamentos do mercado imobiliário.
Quer relatar sobre algum erro? Avise a gente
Compartilhe:
Mais conteúdos imobiliários:
Conteúdo 3D do empreendimento N. Urban Pinheiros oferecido pelo Apto.

As tecnologias que ajudaram o mercado imobiliário a enfrentar 2020

O ano de 2020 foi desafiador para o mercado imobiliário, mas algumas tecnologias ajudaram a enfrentar as dificuldades e preparar o setor para o futuro.
Foto da autora Nathalia Zanardo
Nathalia Zanardo
Entrada do CJ Shops.

São Paulo mais híbrida e caminhável

A tendência de uma cidade policêntrica, híbrida e caminhável em São Paulo, com o exemplo do recém-inaugurado CJ Shops e o caminho do novo plano diretor.
Foto da autora Victória Baggio
Victória Baggio
Tendências do mercado imobiliário para 2021

Tendências do mercado imobiliário para 2021

Conheça as tendências de 2021 no mercado imobiliário: tecnologia em alta, apartamentos maiores e mais!
Foto da autora Victória Baggio
Victória Baggio