Logo do Blueprint
Fechar

Mercado imobiliário investe em praias artificiais

Diversas incorporadoras brasileiras estão trazendo para seus projetos piscinas que simulam o mar, com ondas artificiais. Confira!

Mercado imobiliário investe em praias artificiais

Diversas incorporadoras brasileiras estão trazendo para seus projetos piscinas que simulam o mar, com ondas artificiais que podem chegar a até dois metros de altura, areia e toda a infraestrutura para os moradores terem a experiência de uma praia de verdade, além de praticar o surf!

A Giesta Incorporadora traz para Santa Catarina o Surfland Clube & Resort, com hotel, propriedades compartilhadas e previsão de entrega para 2022. Sua praia artificial terá ondas a cada quatro segundos, em diversos formatos, com até dois metros de altura. O empreendimento terá serviços como: escolas e clínicas de surf, locação de pranchas e wetsuit, museu do surf e muito mais!

Perspectiva artística da praia artificial do Surfland Clube & Resort.

Pelo jeito, essa é uma tendência nacional. Em Itupeva, no interior de São Paulo, o projeto Praia da Grama (em construção) também terá uma praia artificial. A KSM Realty investiu cerca de R$ 130 milhões, sem contar a infraestrutura. A areia necessária para cobrir 700 metros de extensão vai ser levada por cerca de 480 caminhões. A tecnologia utilizada é a Wavegarden, que permite ajustar o formato e o tamanho das ondas.

Em São Paulo, a Gamaro traz o seu primeiro empreendimento resort com complexo aquático e praia artificial, o Piscine Station Resort, em obras.

Foto da autora Gabriela Borba

Faça parte do Blueprint

Assine Grátis e receba a news semanal com os melhores conteúdos do mercado imobiliário.

Quer relatar sobre algum erro? Avise a gente
Compartilhe: