Logo do Blueprint
Fechar

Um possível “adeus” às vagas de garagem no centro de São Paulo

Durante muito tempo o uso de carros nas grandes metrópoles foi intenso. Entretanto, hoje em dia, as pessoas procuram novas formas de aliar a mobilidade urbana à qualidade de vida.

Um possível “adeus” às vagas de garagem no centro de São Paulo
Foto da autora Giovana Costa

Os diversos deslocamentos diários nas grandes cidades fazem parte do cotidiano das pessoas que utilizam diferentes meios de transporte para se locomover, como: metrôs, trens, bicicletas, ônibus e, sobretudo, carros. Entretanto, quando falamos sobre mobilidade urbana também nos referimos à qualidade de vida, e digamos que o uso do carro não está necessariamente contribuindo nesse ponto.

Seja pelo impacto da poluição sonora, o estresse gerado pelo trânsito ou as emissões de gás carbônico na atmosfera, a disposição para adotar meios de transporte mais sustentáveis já representa uma motivação para diminuir expressivamente o uso do carro, que vai cair em 28% em São Paulo, segundo pesquisa da Kantar.

No centro de São Paulo, por exemplo, esse desuso do carro já é uma realidade que se reflete no mercado imobiliário. Em entrevista exclusiva ao Blueprint, Mariana Belomo, gerente de marketing na Magik JC, e André Cassiano, que atua como gerente comercial, comentaram como os empreendimentos da linha Bem Viver são planejados para garantir a qualidade de vida e aliar o melhor da mobilidade urbana a uma experiência de morar muito positiva.

No empreendimento Bem Viver Centro Novo, por exemplo, não existem vagas de garagem. Mariana explica que a motivação para isto vai além do encarecimento da obra, pois une muitos fatores importantes: “[No centro] Existe uma malha urbana muito completa, e as pessoas ainda contam com todo tipo de transporte público... Agregando isso à infraestrutura que o centro já tem, a ideia é incentivar o uso de outros meios de transporte...”

Fachada do empreendimento Bem Viver Centro Novo da Magik JC.
Fachada do empreendimento. Fonte: Bem Viver Centro Novo no Apto.

Além disso, a não existência da vaga de garagem está alinhada com as expectativas e a visão de mundo do público-alvo: "As pessoas que moram ou se interessam pelo centro se preocupam com a sustentabilidade, então criam alternativas sem ter que utilizar o carro, por exemplo. São jovens, pessoas ativas que buscam a independência, conhecer coisas novas e sabem da importância de morar próximo do trabalho", afirma Cassiano. 

Em outros empreendimentos, a Magik JC oferece vagas do tipo PNE, isto é, feitas para pessoas portadoras de necessidades especiais. Essas vagas também acumulam função de descarga, pois atendem os moradores e também os lojistas em prédios onde existem lojas. Desta forma, depois das compras, os produtos podem ser descarregados de forma mais prática, a fim de garantir acesso e segurança.

De fato, a tendência é que cada vez mais metrópoles atuem em prol da mobilidade urbana, aproveitando melhor seus espaços e garantindo mais qualidade de vida à população.

Categorias
Foto da autora Giovana Costa
Jornalista entusiasta do audiovisual e editora com foco em SEO. Cobre o mercado imobiliário com foco nas inovações e nas novidades que transformam o setor (e o mundo).
Quer relatar sobre algum erro? Avise a gente
Compartilhe:
Mais conteúdos imobiliários:
Trajetória da taxa de desemprego no Brasil.

Forte desempenho da construção civil impulsiona economia do Brasil

Apesar das dificuldades como o desemprego, a construção civil tem contribuído com avanços na economia, principalmente a partir da geração de empregos. O que podemos esperar para 2021?
Foto do autor Alex Frachetta
Alex Frachetta
Living com opção de home office

O cinema está indo para a sua sala

O cinema em casa é mais uma tendência que o Covid-19 trouxe mais rapidamente para o nosso dia a dia, impactando o mercado de entretenimento e o imobiliário.
Foto do autor Alex Frachetta
Alex Frachetta
Christian Bale interpreta Michael Burry, gestor que previu a bolha de 2008, e após 10 anos, se mostra otimista com o mercado imobiliário dos EUA.

Mercado imobiliário nos EUA também está otimista

Michael Burry, visionário da bolha de 2008, tem 30% de seu portfólio alocado no mercado imobiliário. É um sinal de otimismo para o mercado americano.
Foto do autor Alex Frachetta
Alex Frachetta