Logo do Blueprint
Logo do Blueprint

Adiamento das Olimpíadas de Tóquio 2020 causa incertezas sobre Vila Olímpica

Foto da autora Giovana Costa
Por Giovana Costa em 2 mins de leitura

Em 124 anos esta é a primeira vez que uma olimpíada é adiada. Por causa da pandemia do coronavírus, agora ela acontecerá no verão de 2021. Por essa os japoneses não esperavam.

A enorme Vila Olímpica está localizada num complexo de luxo com vista para a baía de Tóquio

A previsão é de que 11 mil atletas, de, no mínimo, 204 países, sejam recebidos para disputar os Jogos. A Vila Olímpica que os abrigará é formada por 23 torres de apartamentos de luxo e tem vista para a baía de Tóquio. Com quase 25% das mais de 4 mil unidades já vendidas, a preocupação é o atraso na entrega decorrente do adiamento do evento. Puro azar.

Para nós, brasileiros, é inevitável não lembrar da Vila Olímpica que abrigou os atletas nos Jogos do Rio, em 2016. O projeto teve um gasto de R$ 2,9 bilhões na construção dos 31 prédios com 3.604 apartamentos, que ficaram prontos em cima da hora. Depois dos Jogos, apenas 40% dos apartamentos foram comprados. Um pouco mais de organização ajudaria.

Perfeição mesmo só aconteceu nas Olimpíadas de Londres, em 2012, que contaram com muito planejamento e não deram o azar de enfrentar uma pandemia mundial. Resultado: revitalização de uma grande área londrina que estava degradada, 11 mil novos lares construídos e US$ 176 milhões gerados mesmo após o evento. Sucesso! E sorte também.

Faça parte do Blueprint

Clique em Assine Grátis e receba a news semanal com os melhores conteúdos e notícias do mercado imobiliário.

Compartilhe:

Mais conteúdos imobiliários: