Logo do Blueprint
Fechar

Storytelling aonde quer que você vá

O storytelling é o poder que temos não de contar histórias, mas de nos conectar com as pessoas da forma mais humana possível, através das emoções.

Outro dia, eu estava ouvindo a bela música Aonde Quer Que Eu Vá, do Paralamas do Sucesso.

Contaram para mim que a música foi escrita pelo Hebert Vianna, e, logo depois de ser lançada, foi ressignificada em homenagem à sua esposa, que faleceu em um acidente de ultraleve pilotado por ele mesmo.

Fotografia de Hebert Vianna e sua esposa, Lucy Needham, abraçados, os dois estão vestidos de vermelho.
Hebert Vianna e a esposa, Lucy Needham. Fonte: Letras

Olhos fechados

Pra te encontrar

Não estou ao seu lado

Mas posso sonhar

Aonde quer que eu vá

Levo você no olhar

Para mim, essa informação elevou bastante a conexão com a música. Com um pouco mais de contexto, assistindo ao documentário Os Quatro Paralamas, a gente vê o quanto o casal se amava e isso melhora a música.

Penso que essa é a importância do storytelling, afinal, histórias servem para nos conectar.

Existem várias marcas de roupa, mas tem a que ajuda a combater à fome, um problema que atinge 33 milhões de brasileiros. Você já passou fome?

Da mesma forma, existem várias construtoras, mas tem a que já investiu R$ 58 milhões em projetos de educação, e pessoas puderam ter uma educação que nunca teriam. Podem parecer fatos isolados para uns, mas, para outros, é marcante.

Pense em como apresentar o seu próximo lançamento imobiliário. A história até pode ser sobre ele, mas quem deve estar no centro são as pessoas envolvidas.

Foto do autor Alex Frachetta

Foto do autor Alex Frachetta
CEO e Fundador do Apto. Pós-graduado em Inteligência de Mercado, DNA de tecnologia, há 10 anos cria e acompanha as inovações imobiliárias.

Assine a news do Blueprint

Assine Grátis e receba a news semanal com os melhores conteúdos do mercado imobiliário.

Quer relatar sobre algum erro? Avise a gente
Compartilhe: