iBuyer: o que é e como funciona este modelo de negócios? Descubra!

iBuyer é um modelo de negócios do setor imobiliário. O termo tem origem na expressão em inglês instant buyer (em português, comprador instantâneo). Você já ouviu falar sobre ele?

São chamados de iBuyers compradores que adquirem imóveis residenciais diretamente com o proprietário, após avaliação de eventuais oportunidades graças ao uso da tecnologia. Não são necessários anúncios ou a mediação de uma imobiliária, e o negócio é realizado de maneira rápida e eficaz.

Mas como funciona esse modelo de negócios do mercado imobiliário que tem se tornado uma tendência cada vez mais forte no Brasil? Neste artigo você descobrirá o que é, como funciona um iBuyer e quais as principais vantagens e desvantagens dessa alternativa.

Vamos lá?

O que é iBuyer?

O iBuyer é uma modalidade de compra de imóveis que utiliza a tecnologia e a análise de dados para viabilizar negócios no mercado imobiliário. A ideia central do formato é comprar imóveis residenciais, submetê-los a um processo de reforma e valorização para que, depois, possam ser vendidos ao comprador final.

Para isso, as companhias iBuyers utilizam um software que avalia as condições dos imóveis de acordo com critérios predefinidos. Os itens analisados pelo algoritmo fixo vão na contramão da subjetividade e dão menor vazão às precificações especulativas.

O objetivo dessas startups, claro, é adquirir imóveis com potencial e vendê-los a preços maiores para lucrar com o negócio.

Como funciona o iBuyer?

Há diversos modelos de operação. No geral, todas as empresas iBuyer usam os algoritmos com base em dados do mercado imobiliário regional para definir a precificação do imóvel.

Esses algoritmos podem ter mais de setenta variáveis, incluindo:

·         andar do apartamento;

·         área total do imóvel;

·         desenvolvimento e índices de violência da região em que o imóvel está localizado;

·         idade e estado de conservação do imóvel e do edifício.

Para definir o valor final da proposta, os iBuyers acrescentam os valores que possivelmente serão gastos com a reforma, incluindo limpeza, pintura e móveis planejados.

Tanto proprietários como corretores de imóveis podem cadastrar os bens para as vendas. A partir daí, é feita uma análise e definida uma proposta. Caso o proprietário ou o corretor aceite o valor, a próxima etapa é uma vistoria, seguida do fechamento do contrato. O valor é pago à vista.

Assim, o dono do bem consegue vender o imóvel de maneira rápida, enquanto as startups que compram os imóveis fazem um negócio que lhes permite lucrar ainda mais no futuro. Inclusive, antes mesmo da reforma, os iBuyers já publicam a oferta do imóvel no mercado.

As plataformas mais populares no Brasil disponibilizam, normalmente, dois modelos de anúncio: um deles é mais próximo da imobiliária tradicional, enquanto outros têm como foco principal a transação iBuyer.

Modelo tradicional

As startups com modelo tradicional são direcionadas àqueles que desejam vender um imóvel. O site dessas companhias costuma oferecer:

·         assessoria de especialistas para definir a melhor estratégia de venda;

·         apresentação do imóvel por meio de fotografias tiradas e tratadas por profissionais;

·         tour virtual para visita on-line;

·         planta 3D e planta baixa.

Modelo iBuyer

No modelo iBuyer, a plataforma adquire o imóvel com pagamento à vista, aplicando os critérios dos algoritmos mencionados anteriormente. Além de outros itens, essas startups avaliam quesitos como:

·         número de vagas de garagem;

·         valor do condomínio;

·         presença de elevador;

·         opções de vistas disponíveis.

Todos esses fatores impactam diretamente na oferta feita ao proprietário ou ao corretor de imóveis.

Vale destacar, no entanto, que nem todas as pessoas que desejam vender um imóvel por meio do iBuyer conseguem fechar negócio. Isso porque, em geral, essas empresas trabalham com alguns critérios de elegibilidade. Portanto, é preciso manter-se atento.

Por que o iBuyer é uma tendência?

No Brasil, o iBuyer tem sido apontado como a solução para imóveis que estão à venda, mas não despertam o interesse de compradores. Afinal, até mesmo aqueles que têm localização privilegiada podem não atrair os olhares de quem busca um novo lar.

Construções antigas, com uma planta não muito atraente à composição familiar dos dias atuais, por exemplo, acabam não valendo a pena. Elas exigem reformas para sua adequação, o que acaba encarecendo o valor do bem.

Com a oferta dos iBuyers, por outro lado, até mesmo os imóveis que exigem maior atenção podem despertar interesse das startups. Bom para o vendedor, que faz um negócio mais rápido, e bom para quem compra, que acaba acessando alternativas melhores no mercado.

O novo modelo de negócios do setor imobiliário, portanto, resolve essas necessidades de ambos os lados e garante mais fluidez ao mercado.

Quais os prós e contras do iBuyer?

Apesar de ser considerado um modelo de negócio imobiliário inovador, existem prós e contras tanto para o comprador como para o vendedor quando o assunto é o iBuyer. Confira alguns deles a seguir:

Vendedor

Quem vende um imóvel para um iBuyer tem a casa ou o apartamento avaliado com muito mais rapidez. Entre a vistoria e os trâmites em cartório, o tempo médio para fechar a compra é de 30 dias.

O pagamento é realizado à vista, sem taxas e sem riscos de depreciação. Além disso, quanto menos tempo o imóvel fica parado, menores são os gastos com IPTU e condomínio.

A desvantagem, no entanto, também está nesse detalhe: tudo tem um preço. Por todos os benefícios que o modelo oferece, a queda no valor do imóvel pode ser alta em relação ao preço anunciado.

Comprador

Quem compra uma casa ou um apartamento por esse modelo de negócios recebe o imóvel pronto, reformado e, muitas vezes, decorado. Isso, no entanto, também traz uma desvantagem, já que não há muitas opções de escolha em relação à personalização.

Além dos limites para personalizar seu imóvel, as empresas que fornecem os equipamentos para a reforma – como móveis, pisos, entre outros – também são predeterminadas pelo iBuyer. Por isso, é preciso avaliar as alternativas antes de tomar uma decisão.

Quais são as vantagens do iBuyer para o mercado imobiliário?

Você percebeu até aqui que o iBuyer pode ser interessante para quem compra e vende um imóvel. Entretanto, ele também traz diversos benefícios para o mercado imobiliário, oferecendo maior liquidez para as transações.

Lembre-se de que o iBuyer acelera a compra e a venda de imóveis. Além disso, a operação é altamente transparente, o que gera menor burocracia na compra de um imóvel, e, claro, facilita o papel de corretores de imóveis e diversos outros profissionais do mercado.

Agora você já sabe que o iBuyer é um modelo de negócios imobiliários que ressignificou o processo de compra e vendas de imóveis. Afinal, ele transforma toda a burocracia das negociações em uma experiência simples e eficiente.

Contudo, a depender dos seus objetivos, vale a pena avaliar as vantagens e desvantagens dessa modalidade antes de decidir realizar uma compra.

E você, tem dúvidas sobre o assunto? Deixe seu comentário ou dúvidas abaixo!