Logo do Blueprint
Logo do Blueprint

Desde que a impressão 3D se tornou possível na construção civil, foi dada a largada para a disputa da liderança nesse novo mercado. E não é à toa. Segundo previsão da SmarTech Publishing, a indústria da construção impressa 3D movimentará US$ 40 bilhões até 2027.

Até agora, iniciativas como a primeira casa impressa habitada na França, no ano passado, podem ser observadas, mas nada que representasse a dianteira nessa corrida. Dubai se mostra muito interessada em se tornar a capital oficial dos edifícios impressos 3D, com o objetivo de fazer um quarto de todos os novos edifícios impressos até 2030.

Esse objetivo chamou a atenção do mercado, que tem se preparado para atender à demanda. Entre as empresas que estão na corrida, a COBOD International tem destaque, porque produziu o primeiro edifício impresso em 3D da Europa, em 2017.

“Muitas novas empresas semelhantes a nós foram lançadas por sérias construtoras, multinacionais que enxergam o potencial de Dubai. O potencial é de bilhões.”, diz o CEO Henrik Lund-Nielsen.

Projeto de incorporação Emaar Properties para o Arabian Ranches III Complex, em Dubai.

Compartilhe:

Mais conteúdos imobiliários:

Em Curitiba, AG7 Realty ganha título do empreendimento mais sustentável do Brasil

Em Curitiba, AG7 Realty ganha título do empreendimento mais sustentável do Brasil

Residencial com experiência gastronômica em NY para viver e vivenciar

Residencial com experiência gastronômica em NY para viver e vivenciar

Primeira maquete totalmente feita em impressora 3D e material sustentável

Primeira maquete totalmente feita em impressora 3D e material sustentável

Mail Icon

Quer receber conteúdos como esse no seu e-mail gratuitamente?

O Blueprint respeita sua privacidade. Usamos cookies para melhorar sua experiência e ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.